sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Um novo caminho

E quando os sentimentos escolhem o caminho?

O futuro é uma casinha tão distante que só o amor, com todas as suas sutilezas, conseguirá chegar. O futuro é de nós dois. E só.

Carinho

Quando o comentário é mais importante que o post. =)

O comentário do post passado foi tão lindo que só tenho que agradecer.


<3 Amanda.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Quando o limite é o ponto final.

O desejo é estar longe/
Que a distância aumente a ponto de virar "nunca".
Nunca mais.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Azul

Nem tudo é azul.

"A cor da vida não é azul. E sim suor, esforço, amor, bondade, apoio e carinho".

(obrigada por essas palavras, painho!)

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Cócegas na barriga, amor na alma.

Tua primeira dancinha dentro de mim foi como chegar no céu.

E foi Deus quem cantou pra gente.






(Registrado em 20 de outubro, às 22h, junto de pessoas amorosas e especiais, minha nova família: Pr. Zé Roberto, Rev. Eudes, Cris, Mariluce, Cássia, Ahiran <3)

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Para você, que guarda sonhos em um papel.

Deixa estar.
Como se nada tivesse acontecido.
Como se nunca tivesse chovido.
Ou não. Faz de conta que o chão não ficou molhado.
Deixa estar como quem finge que nuvem é algodão doce só para sentir o gostinho do céu.
Deixa estar. Me deixa no estado de graça e faz do teu riso sem graça, minha graça, minha alma. Meu descanso.
Deixa estar como quem segue borboletas para não chegar a lugar nenhum.
Deixa, mas não me deixa.
Onde estiveres sorrindo, eu vou estar.
Deixar estar como se não houvesse nenhum erro.
Como se nosso choro tivesse escorrido em uma janela, que agora deixa o sol entrar.
Deixa estar.
Deixa teu sorriso dentro de uma caixa onde guardo todos os meus anéis.
Porque ele não vai ter fim.
E a cada dia, vai segurar minha mão, como quem procura um laço, um vínculo, um afeto.
Deixa estar.
Me deixa escrever até amanhecer.
Até eu saber que, finalmente, um novo dia começou.
E deixa estar, como quem sonha para não dormir.
Porque você diz que sou boba.
Mas você não sabe que é sonhando que a nossa alma desperta.
E todos dormem.
e deixa estar.
Porque eu sempre vou estar,
Onde tu deixar o teu coração.


(trilha sonora: "Let it be" para bebês, seguida de "Friday I'm in love, também para bebês.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

A canção mais suave que já ouvi

(16 semanas e 3 dias)


As letras dizem o que eu há muito eu não sentia.
Eu e você.
Aqui estamos, juntos.
Chorando juntos, sorrindo.
Sentindo saudade.
Sentindo um amor que só cresce.

Porque cada dia fica pequeno pro tamanho do nosso coração.
Cresce o teu, cada vez. E junto, aumenta o meu amor.
Incha, coração.
Mas é de ternura e doçura.
Amor que vai ganhando espaço.
Que vai se acomodando, sem pensar em ir embora.
Vai transformando.
Vai escrevendo uma nova história, que agora, vira música.
E com essa canção, eu durmo toda noite.

É esperança.
É certeza da felicidade.
É uma realidade, que no início, trouxe lágrimas, mas aos poucos vira sonho.

Porque no fundo é isso:

Te amar a cada dia mais é transformar a realidade em um sonho.

E para a gente nunca acordar desse sonho, vou escrever a canção mais linda de ninar.
De amar.

De dormir com teu abraço.

porque amar é abraçar o coração. Pra sempre.

<3

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Para Alice

Uma pequena homenagem para Alice Maciel, uma "leitora" do blog que não conheço. Mas hoje iluminou meu dia ao dizer que adora o blog, tecendo o mais fofo elogio do mundo: ela atribuiu ao blog o poder de expressar sentimentos únicos, e a mim, o dom de tocar corações. (lindo)

Escrever também é esvaziar o coração para poder encher muitos outros de amor.

Mas, hoje, foi Alice quem tocou meu coração ao me escrever, dando coragem e disposição para continuar iluminando tanta gente. Assim como ela iluminou meu dia.

Obrigada, Alice. =*

<3

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Tenta

Escrever com alma é desenhar o próprio coração no papel.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

é preciso ser criança para virar mãe.

(15 semanas e 3 dias)

porque aquela historinha que vou te contar mil vezes sempre vai ter um final feliz.

e na sua pequena cabecinha, só existe final feliz.

e na minha, agora, também.

porque só você foi capaz de me convencer que existem milagres.

afinal, como o mundo pode ser tão cor-de-rosa como você pensa, se o céu hoje resolveu ser cinza?

ai você vai querer um cavalo de presente, mas vai ter que se contentar com um carrossel.

e o melhor de tudo é que vai achar que está ganhando: afinal, um carrossel tem muito mais cavalos do que eu poderia te dar.

e você vai me convencer , novamente, de que realmente existem anjos. São eles que permitem que passarinhos machucados ou borboletas debilitadas possam voltar a voar.

são eles que estão segurando as asas de cada um desses bichinhos, até que eles voltem a ter segurança.

é como machucar alguém: para conquistar a confiança de novo, você segura a mão dessa pessoa por muito tempo.

em outras palavras: até que a asa - coração- machucado possa permitir um novo vôo.

claro que o anjo é mais discreto. ninguém está vendo ele voando.

o mesmo não acontece com as pessoas.

mas o que não sabemos é que quando duas pessoas dão as mãos para tentar caminhar juntas novamente - mesmo depois de tanta dor- existe uma força invisível que assim como o anjo é capaz de mover o céu.

o nome disso é amor.

e para amar, não é preciso muito. só um pouco de dedicação.

e quando existe amor, todos os caminhos se abrem.

é como se o céu estivesse no chão. e mesmo que o caminho seja árduo, a gente ganha sapatos de algodão que cabem exatamente nos nossos pés.


e os caminhos não significam escolhas. e sim, possibilidades. ou quando você escolhe um sorvete de flocos, acha que perdeu o de chocolate?

Na verdade, a gente só deixa outra parte da felicidade para depois.

E para a felicidade, depois nunca é tarde.

Porque, por mais que o dia amanheça triste várias vezes, e por mais que o céu cinza te deixe sem esperança, pode ter certeza de que quando a felicidade chegar,

a gente vai ver e sentir que o tempo não era nada.

era só um caminho obrigatório, que não aceitaria nenhum tipo de atalho.

enfim. vamos chegar lá e virar crianças novamente.

não vai ser tarde para dar as mãos.

vai ser a hora exata que a esperança marcou para nos fazer acreditar em anjos, felicidade e no amor mais puro que possa existir.

ele vai estar em nossos braços.

(de criança, virei mãe. e de mãe, voltei a ser criança)

abraço

um abraço derrete qualquer gelo. ( e se demorar muito, vai derreter o teu sorvete!)

amor

amor é a única flor que brota sozinha. mas preciso de outro para morrer.

escrever

Hoje eu queria escrever no ar só para te mostrar como é jogar palavras ao vento.

sonhos

sonho é uma lembrança que nunca aconteceu e ainda assim é capaz de dar saudade.

sonhos

fui com tanta pressa encontrar você que me esqueci de levar junto.
Olhei para a hora e já era tarde demais para me buscar.
onde?
não sei.
talvez eu algum sonho que se chamasse melancolia.
talvez em algum futuro que se chame saudade.
mas voce nunca notou que eu não estava lá.
talvez porque você tinha se esquecido também de si mesmo.
juntos estávamos sonhando no mesmo lugar.
sonhos que quando a gente acorda esquece o que aconteceu.
só sei que era bom.

e agora, virou lembrança.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

tem um sol sorrindo no papel

já posso ver o teu desenho mudando o meu dia para melhor.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Paz

Um pedaço de céu dentro do coração. :)

terça-feira, 4 de outubro de 2011

domingo, 2 de outubro de 2011

sábado, 1 de outubro de 2011

de uma tarde de outubro

Porque as coisas pequenas são bem maiores.

Flores dispersas na calçada não fazem mais parte da natureza. Fazem parte de um novo caminho, que um dia vai me levar até você. Eu já não penso no que gosto. Penso no que você poderia gostar.

Será que vai ser do fim da tarde? De sorvete de flocos?

Quais dos pequenos prazeres da vida vai ser seu preferido?

Eu já não olho para o céu e penso que vai cair uma chuva. Ou que mais tarde, nessa cidade tão louca quanto meus sentimentos, a temperatura vai cair. Penso em como te contar uma história, para dizer que o céu é o lugar perfeito para todo mundo.

Tanto que quando a gente se sente feliz ou apaixonado diz que está no céu.

Já penso em brincar com as nuvens e fingir que ovelhas felpudas podem cair na sua cabeça. Por isso, é melhor correr quando chove. Ninguém quer levar uma "ovelhada" na cabeça, menino.

Também penso que sua mão vai ser tão pequena quanto eu me sinto agora, diante de você. Mas ela vai ter a capacidade incrível de curar e transmitir amor.

Porque segurando a sua mão, seremos só um e ao mesmo, nunca estaremos sós, no sentido de ser "só um".

Penso que por você, terei que aprender a perdoar. E por você, vai chegar um dia que terei que exercitar o que eu mesma defini: "perdoar é reciclar carinho".


E agora, em uma tarde de outubro qualquer, penso em como nos momentos de mais desordem interior, a felicidade vem em pequenos pedaços. E se a gente juntar (para isso, nem é preciso ser bom em quebra-cabeça), a gente pode deixar a vida mais leve.

Penso que agora tudo parece difícil. Mas é justo essa hora que começamos a nos esvaziar de nós mesmos. É por isso que você vai gostar tanto de balão de festa.

E se esvaziar talvez seja o mesmo que as árvores fizeram com as flores, que agora, já estão na calçada. E que agora, fazem parte do meu caminho.

Aí começo a imaginar o futuro. Penso em como as dificuldades nos fortalecerão a ponto de aceitarmos o que a vida nos deu.

E mais que isso, enxergar como um presente.

Imagine, filho, que lindo dom é esse. Mais do que um pedido, você chegou de repente. Como um presente. Uma surpresa.

Você já parou para pensar no tamanho de tudo isso? A gente, por exemplo, não escolhe nossos irmãos. E eles passam a ser o nosso mundo, o nosso sentido, a nossa força, o nosso maior amor.

Por isso, hoje, quando eu passar a mão na barriga, eu sei que é no seu coração que estarei fazendo carinho. E quando a gente dá, também recebe.

E fazer carinho no coração é o jeito mais simples e, ao mesmo tempo, intenso de amar.

Porque as coisas pequenas são bem maiores. Mas as coisas que parecem maiores também vão ficar pequenas.

meu pequeno.

Quando a gente tenta amar.

E não consegue.

Quando a gente quer gritar que precisa de carinho, mas os medos não deixam.

Quando a gente só precisa de um abraço, mas não consegue estender os braços.

Quando eu precisava de você e não soube dizer.

Quando a distância parecia machucar.

Quando o silêncio gerou incerteza.

Quando a gente fica pequeno diante de sentimentos intensos.

quando tudo escapou de nossas mãos.


só um abraço resolvia.

uma nova história - 13 semanas e 6 dias.

Segunda são 14 semanas de uma vida dentro de mim e do meu coração. Mas pra mim, é a primeira semana.
O dia em que me levantei de madrugada, não me sentindo tão bem. Mas o dia em que me ajoelhei. Abri meu coração e me senti viva. O dia em que descobri que estar perto de Deus é sentir amor.
E hoje, tudo começou novamente. Porque hoje, senti meu bebê, meu grande amor, em meus braços, como nunca.
Me senti mãe pela primeira vez. Mãe que ama. Mãe que luta. Mãe que chora. Mãe que achou, por um momento, que perdeu o "centro". Mas que agora, descobriu que se perder faz parte do processo.
É preciso começar do zero. É preciso abrir uma página em branco e escrever uma nova história.
"Escrever é sentir o coração na ponta dos dedos". E agora, tenho dois corações. E tenho a primavera, que de fato, se despedindo do frio e se abrindo para as flores, começou agora, junto comigo.
A partir de agora, o blog vai ser contado em semanas. Em cada uma delas, as impressões de recomeçar e se sentir mais viva. Em cada uma delas, o desejo de superar, de viver, de amar, de ser feliz, sem precisar de nada. ( Só da primavera).

A primeira impressão é : já não sou mais eu. sou eu e você. e você, sendo parte de mim, me faz ser diferente.

tenho todos os sentimentos do mundo ao mesmo tempo.
e todos se traduzem em amor.

e no meu coração, o desejo de transformar vida em alegria.

Filho, esse vai ser o maior presente que vou te dar. =)